Agricultores participam de intercâmbio sobre a cultura da mandioca em Arauá

Ao todo, 12 agricultores de quatro municípios participaram do evento

Pensando no desenvolvimento da cadeia produtiva da mandioca no estado, a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) promoveu nesta quarta-feira, 24, em Arauá, um intercâmbio técnico intermunicipal para que 12 agricultores familiares dos municípios de Lagarto, Pacatuba, Malhador e Aquidabã. Durante a programação, os agricultores tiveram a oportunidade de visitar a Agroindústria do Grupo de Jovens Cooperativistas da Colônia Sucupira (Cooperjos), conhecendo o trabalho que desenvolve com a macaxeira à vácuo e o sub-produto da mandioca. O intercâmbio, como ferramenta de assistência técnica e extensão rural (Ater), proporciona a quem dele participa a troca de experiências através da apresentação de atividades exitosas, que o homem do campo desenvolve no seu dia a dia.

O grupo de jovens, composto por 55 cooperados, tem apresentado uma experiência bem sucedida na produção de alimentos saudáveis e no fornecimento aos mercados institucionais. Esta distribuição é feita por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e do Programa de Aquisição de Alimentos PAA, através da chamada pública, e recebe importante apoio de técnicos da Emdagro do município de Arauá. “Hoje esse intercâmbio é para que os agricultores de outros municípios conheçam essa atividade bem sucedida de Arauá, e possam expandir esse trabalho e fortalecer a cadeia produtiva da mandioca no estado”, disse o diretor de Assistência Técnica e Extensão Rural da Emdagro, Jean Carlos Nascimento Ferreira.

Ainda segundo ele, a mandioca está entre as dez culturas mais cultivadas em Sergipe. “Pensando nisso, estivemos no Centro de Pesquisa em Mandioca e Fruticultura da Embrapa, em Cruz das Almas, na Bahia, onde cadastramos a Emdagro como uma ‘maniveira’ para receber estacas dos diferentes tipos de mandioca. O objetivo é que possamos fazer essa propagação e distribuição aos agricultores, porque a gente entende que, como a atividade vem crescendo muito, a Emdagro precisa estar ofertando, além da assistência técnica, novas variedades de mandiocas resistentes a pragas e doenças”, ressaltou Jean.

Para o assessor de Comercialização da Emdagro, Wagner Brito, os canais de compra e venda estão disponíveis. “Mas, para isso, é preciso que os produtores rurais se organizem para comprar bem seus insumos e produzam bem, adotando todas as tecnologias recomendadas pela Emdagro e, por fim, vendam bem o seu produto. Esse tripé tem que estar bem definido para que ele possa ter êxito no acesso aos diversos canais de comercialização. Porém, para isso, é necessário que tenha uma programação da produção e da venda”, argumentou.

Roberto Vieira de Melo é o presidente da Cooperativa Agroindustrial Malhadorense (Coomalha). Ele destaca a importância do intercâmbio. “A nossa vinda aqui foi para entendermos como eles trabalham o processamento da embalagem à vácuo, porque futuramente queremos implantar em nosso município, já que hoje fazemos o processamento dessa embalagem em parceria com o município de São Domingos. Então, esse intercâmbio tem sido bastante enriquecedor, porque nos dá condições de aprendermos como eles conseguiram o projeto e como estão fazendo a logística para processarem aqui mesmo, no próprio município de Arauá”, informou o presidente.

A cooperativa na qual o agricultor Roberto é presidente tem, hoje, 32 cooperados, e ele destaca que o principal objetivo é eliminar os atravessadores. “Nós temos 32 agricultores associados e queremos ampliar, porque eles estão vendo o que estamos buscando: a dinâmica de trabalho para melhorar a vida do produtor rural, tirando deles a figura dos atravessadores. Nós temos condições de produzir, embalar e colocar tanto no mercado de merenda escolar, quanto no interno e externo a produção da macaxeira a vácuo, valorizando o produto do agricultor local”, destacou Roberto.

Em processo avançado de inserção no mercado da merenda escolar, a Cooperativa das Cadeias Produtivas de Pacatuba conta com 48 cooperados e busca expandir os produtos para outros mercados. “O dia de hoje foi muito importante. Nós trabalhamos com maracujá, batata, coco, banana e arroz. Esse intercâmbio tem mostrado o processamento da mandioca, já que pretendemos trabalhar com ela futuramente. Com o apoio da Emdagro, a gente já está em processo de alcançar os mercados do PNAE e PAA”, comentou o presidente da cooperativa, Geovanio Zeferino dos Santos,

Estiveram presentes no intercâmbio os chefes do escritório regional de Boquim e dos escritórios de Arauá, Neópolis, Malhador e Lagarto. Também prestigiaram o evento o prefeito de Arauá, Fábio Manoel Andrade Costa, e o vice-prefeito e secretário de Agricultura de Malhador, Everaldo Franco, entre outros.

Governo

Última atualização: 31 de maio de 2023 09:03.

Pular para o conteúdo