Publicado: 3 de fevereiro de 2020, 14:18

Artesãos do Projeto Dom Távora em Santana do São Francisco participam de oficina de Redes Social


“Nossa ideia é trazer, de maneira acessível, elementos que ajudem nas publicações dos produtos para as redes sociais”, disse a facilitadora.

Criar oportunidades para vender a produção artesanal pela internet. Este foi o propósito da primeira oficina de Redes Sociais e Fotografia para jovens artesãos beneficiados pelo Projeto Dom Távora. Realizada na terça-feira (28), o curso foi ministrado pela equipe de comunicação da Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (SEAGRI) para jovens de 15 e 25 anos, representantes das famílias integrantes do Centro de Comercialização de Artesanato do município Santana do São Francisco.

Para o secretário de Estado da Agricultura, André Bomfim, a iniciativa tem o objetivo de promover e desenvolver a capacidade dos jovens para vendas do artesanato por meio das redes sociais, visando potencializar as atividades produtivas de suas comunidades. “As ações do Dom Távora, apoiadas pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), agora entram em uma nova fase. O foco agora é a busca de soluções criativas dentro da realidade local para a venda dos diversos produtos, que são resultados dos investimentos produtivos, como o artesanato, a ovino-carpinocultura, a piscicultura, entre outros”, disse André.

O curso foi ministrado pelas comunicólogas do Núcleo de Comunicação do Governo Estadual, a jornalista Díjna Torres e a fotógrafa Pritty Reis. “Nossa ideia é trazer, de maneira acessível, elementos que ajudem nas publicações dos produtos para as redes sociais, explicando sobre a diferença das linguagens, dando dicas sobre fotografia e textos, para que esses jovens consigam alcançar um público mais abrangente através de ferramentas gratuitas como esses aplicativos, por exemplo”, disseram as facilitadoras.

A estudante Suzane Lima de Santos participou da oficina e destacou o sentimento de ajudar a família numa atividade artesanal que vem de geração em geração. “Minha família tem uma cerâmica que era da época dos meus avós, e passou para os meus pais e para os meus tios. Quero criar uma página nas redes sociais para divulgar o trabalho deles, que fazem entregas em Maceió e Aracaju. A oficina foi muito importante, agora é só colocar em prática e divulgar o trabalho deles”, avalia Suzane. A jovem Lavínia Carvalho Souza também participou do curso e disse: “Essas dicas vão ajudar muito nas vendas, as pessoas vão querer saber mais sobre o trabalho dos nossos artesãos”.

A consultora do Dom Távora que acompanha o grupo de artesão no município, Nathalice Aparecida, disse que essa é uma iniciativa de grande relevância no município. “A fonte da região, do ponto de vista econômico e produtivo, é o artesanato. O projeto de oficina para redes sociais propicia a criação de um novo ponto de comercialização, onde eles podem divulgar seus produtos sem depender de atravessadores. Portanto, é uma forma de valorizar o ofício deles e, com isso, valorizar a região que tem como principal fonte de renda o artesanato”, destacou.

O Centro de Comercialização
O Centro de Comercialização do artesanato de Santana do São Francisco foi reformado e ampliado com investimentos do Governo de Sergipe, por meio do Projeto Dom Távora, no valor de R$ 279 mil, visando à geração de renda e o fortalecimento do Turismo no município. A reconstrução do Centro conta com espaço de exposição e comercialização, espaço de convivência e integração social, ateliê e espaço de tecnologia da cerâmica para eventos e cursos de capacitação para artesãos, sala de estudo, leitura e tecnologia digital.


Atualizado: 3 de fevereiro de 2020, 14:18
Skip to content