Câmara da pesca amplia participação e qualifica ações

A Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Pesca Extrativista e Aquicultura passa a contar com a participação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Instituto Federal de Sergipe (IFS) e Universidade Federal de Sergipe (UFS).

 A Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Pesca Extrativista e Aquicultura, em reunião realizada hoje (25), na sede da Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), decidiu ampliar o fórum para outras instituições e passa a contar com a participação da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). O colegiado debateu sobre o andamento das obras do e gestão do terminal pesqueiro de Aracaju, o diagnóstico da pesca em Sergipe e, encaminhamentos para a conquista do S.I.F (Serviço de Inspeção Federal).

O representante da Seagri, Jean Paolo Costa, disse que a Câmara da Pesca é atualmente o mais amplo fórum sergipano de debate das questões da pesca extrativista e aquicultura em Sergipe. “Estamos sempre reunidos e contando com a participação de diversos setores, com representação dos trabalhadores da pesca, por meios de suas associações, do setor governamental estadual e federal com seus órgãos de fiscalização e execução, passa a contar com a participação também de setores acadêmicos e de pesquisa como Embrapa, e aguarda indicação de nomes do IFS e UFS que vão qualificar ainda mais o debate deste setor”, argumentou Paolo.

Terminal pesqueiro

A Câmara debateu sobre o Terminal Pesqueiro de Aracaju, que está sendo construído pelo Governo Estadual em parceria com o Governo Federal desde dezembro de 2015, quando teve suas obras iniciadas. Os participantes discutiram encaminhamentos para definir com que fica a gestão do Terminal após a conclusão das obras. Para a maioria dos representantes da câmara, este é um assunto que deve ser amplamente discutido e aprofundado. Ainda sobre o Terminal, foram discutidas questões ligadas ao esgotamento sanitário, licença ambiental e encaminhamentos para se conseguir o selo de inspeção federal, expedido pelo Ministério da Agricultura.

Diagnóstico

No encontro de hoje,  debateu-se ainda sobre a necessidade de se fazer um diagnóstico da pesca no estado. “É preciso se conhecer os pontos fortes e os pontos fracos deste setor”. Segundo o representante da Seagri, o colegiado deve estuda formas de financiamento para a realização deste diagnóstico.

Participaram do encontro de hoje da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Pesca Extrativista e Aquicultura a Secretaria de Estado da Agricultura Desenvolvimento Agrário e da Pesca (coordenação), representada por Jean Paolo; o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama), representado por Salustiano Marques dos Santos; a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), representada por Carlos Alberto da Silva; a Associação Sergipana de Armadores de Pesca Artesanal, representada por Humberto Luiz de Almeida; e a Associação de Criadores de Camarão do Estado de Sergipe , representada por Péricles Guimarães.

Governo

Última atualização: 25 de agosto de 2016 15:13.

Pular para o conteúdo