Censo estadual da aquicultura e pesca começa pelo município de Nossa Senhora do Socorro

A Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (SEAGRI) anunciou que nesta terça-feira, dia 6 de setembro, inicia a realização do Censo Estadual da Aquicultura e Pesca. O censo recolherá informações que servirão para a elaboração de políticas públicas para os setores aquícola e pesqueiro. O estudo é executado pelo Estado de Sergipe, sob a coordenação da Seagri, em parceria com a Prefeitura de Socorro, Associação de Criadores de Camarão de Sergipe (ACES), Universidade Federal (UFS), Instituto Federal de Sergipe (IFS), Observatório de Sergipe e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e apoio das diversas entidades participantes do Núcleo de Pescado.

O gestor governamental e chefe da Assessoria de Planejamento da Seagri, Arlindo Nery, falou da necessidade de se obter dados oficiais sobre a produção aquícola e pesqueira. “Para planejarmos políticas públicas é necessário entendermos como está a cadeia produtiva. Neste sentido, estamos cumprindo as orientações do Secretário de Estado da Agricultura e Pesca, Zeca da Silva, no sentido de fazer este levantamento. Estamos iniciando por Nossa Senhora do Socorro, através da Secretaria Municipal de Agricultura, Irrigação e Pesca que se disponibilizou para ser uma experiência piloto. É um município com produção bastante relevante que servirá de modelo para aplicarmos a metodologia nos demais municípios”, pontuou.

O gestor da Secretaria de Agricultura, Irrigação e Pesca do município de Nossa Senhora do Socorro, Davi Lopes Fernandez, disse que existe possibilidade de a produção ser maior do que a estimada atualmente. “Em 2019 fizemos um levantamento prévio e contatamos um valor de produção de R$18 milhões, de lá para cá estimamos um aumento de 40% no valor da produção de camarão, peixe e outros pescados”. Ele explicou que a prefeitura entrou na parceria de realização do censo disponibilizando os pesquisadores e a logística local necessária. “Estamos disponibilizando seis pesquisadores para aplicação dos questionários e material de georreferenciamento”, detalhou Davi.

O presidente da Associação dos Criadores de Camarão (ACES), Luiz Marques, falou da importância da participação dos pesquisadores locais que têm credibilidade junto aos produtores. “Foi uma decisão certa deixar a aplicação dos questionários por pesquisadores do município, indicados pela prefeitura. Eles já conhecem a região e os produtores que também se sentem tranquilos em responder para quem já conhece”. Já o representante da UFS, José Milton Barbosa, destacou o sentido deste cadastramento para os produtores. “Esse dimensionamento serve para verificar quem são os produtores, quanto se produz, qual a espécie produzida, qual a área de produção, para que os criadores possam pleitear suas necessidades junto ao poder público”.

A expectativa das instituições é concluir a 1ª etapa – carcinicultura – do levantamento a ser realizado em Nossa Senhora do Socorro no prazo de trinta dias úteis. Depois, as respostas dos produtores serão tratadas e vinculadas ao levantamento georreferenciado que proporcionará dados fidedignos da aquicultura e pesca da região. Todo trabalho de tratamento dos dados será realizado pelas equipes da Seagri e do Observatório de Sergipe, concluindo com a tabulação final por parte da equipe do IBGE.

Conforme informou o gestor governamental e chefe da Asplan da SEAGRI, no mês de outubro, depois da avaliação do projeto-piloto e possíveis ajustes, a pesquisa será replicada nos demais municípios.

Governo

Última atualização: 8 de setembro de 2022 09:57.

Pular para o conteúdo