Conquista de selo para comercialização no território nacional impulsionará produção de lácteos em Sergipe

Com a aprovação do Ministério da Agricultura da adesão ao Sisbi Lácteos, Sergipe terá um grande avanço com relação à produção de leite e queijos aqui no estado

Há oito anos, a Queijaria Fazenda Nova dava seus primeiros passos, com a produção artesanal em Nossa Senhora da Glória, no alto sertão de Sergipe. Com a ajuda do Governo do Estado e outros parceiros, a pequena empresária Joseane da Costa inaugurou, na sexta-feira, 27, a sede do empreendimento. A conquista foi incentivada pelos esforços do Estado para regularizar as pequenas queijarias.

Além da inauguração, Joseane e os produtores da região têm mais um grande motivo para comemorar, já que na última quarta-feira, 25, o governador Fábio Mitidieri conseguiu, em seu primeiro mês de gestão, a autorização para ampliação do escopo do Serviço de Inspeção Estadual da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) para atuação na área de leite e derivados, o que possibilitará que os produtores sergipanos tenham a validação pelo Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-POA). A conquista foi resultado da defesa de Fábio em prol dos produtores sergipanos.

O secretário de Estado da Agricultura, Zeca da Silva, explicou que, com o Sisbi, os laticínios produzidos em Sergipe poderão ser vendidos em todo o Brasil. “É um momento de muita alegria, resultado do trabalho do Governo do Estado, da Secretaria da Agricultura, incentivada e cobrada pelo governador Fábio Mitidieri, que desde o primeiro dia de trabalho, da primeira reunião, deu muita ênfase para que a secretaria tenha uma atenção especial com a bacia leiteira. E o Sisbi realmente é uma conquista para todo o estado. Foram muitas idas e vindas a Brasília, muita luta, mas, com o prestígio do governador, tivemos essa conquista que dará oportunidade a todas as agroindústrias sergipanas de colocarem os seus produtos nas prateleiras Brasil afora. Essa é a grande importância: dar a condição e regularizar para que as empresas que estejam com o certificado, formalmente, possam vender seus produtos por todo o país”.

Joseane, que também é presidente da Associação de Queijeiros Sertão Forte, relata que a notícia foi muito festejada pelos produtores. “Sem o apoio do Estado, a gente não estaria aqui hoje realizando esse grande sonho. E mais outra sorte é que agora vamos poder vender nossos queijos para todo mundo, os queijos sergipanos vão poder estar em qualquer lugar onde o cliente desejar”, afirma, ao externar gratidão ao governo por todo esforço para que os produtores tivessem essa conquista. “Sergipe vive um momento ímpar. Todo mundo ficou encantado, muito feliz, era um sonho nosso para todos nós, queijeiros”, acrescenta a empresária.

Certificação

A alegria de Joseane, na sexta-feira, foi ainda maior, porque ela recebeu oficialmente o Certificado do Serviço de Inspeção Agroindustrial, Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal no Estado de Sergipe SIE/SE, do Governo do Estado.

De acordo com o presidente da Emdagro, Gilson dos Anjos, as certificações são fundamentais para a expansão de mercado dos produtos sergipanos, garantindo maior desenvolvimento econômico para as regiões produtoras e todo o estado. “O certificado é muito importante para geração de emprego e renda. Hoje são 11 e queijarias que já têm o Selo de Inspeção Estadual e mais 51 já solicitaram. E, com o Sisbi, há a possibilidade de vender os produtos para outros estados e para fora do país. É um avanço muito importante. O critério de avaliação e acompanhamento não pode falhar, porque o que está em jogo é a saúde dos sergipanos e dos brasileiros. As empresas podem solicitar o Sisbi à Emdagro e, atendendo as normas, já possuindo o SIE – o Selo de Inspeção Estadual – é interesse da empresa facilitar, desde que se atenda aos requisitos”, pontua o gestor.

A diretora de Defesa Animal e Vegetal da Emdagro, Aparecida Andrade, reforça que os produtores devem procurar a empresa para solicitar a adesão ao Sisbi ou ao SIE. “Agora, com a aprovação do Ministério da Agricultura da adesão ao Sisbi Lácteos, Sergipe terá um grande avanço com relação à produção de leite e queijos aqui no estado. Aqueles laticínios que já têm inspeção estadual podem procurar a Emdagro para atualizar a documentação e fazer a adesão. Com a adesão, os rótulos das embalagens precisarão ser modificados para conter o selo de reconhecimento nacional. E quem ainda não tem o certificado estadual nos procure, que a gente orienta, pois queremos bastante que todos tenham essa conquista, que é uma questão de saúde pública. E é bom que o consumidor, quando for comprar qualquer produto lácteo, veja se tem um selinho da Emdagro ou se tem do Sisbi, para consumir com segurança”, frisa.

Abertura de mercado

Segundo o superintendente federal da Agricultura, Pecuária e Abastecimento em Sergipe, Haroldo Araújo, a atuação do Estado junto ao Ministério da Agricultura é essencial para o crescimento dos empreendimentos sergipanos. “Fomentar a regularização é um processo muito positivo para Sergipe. Ter o Sisbi não é só fazer com que os estabelecimentos cumpram a lei, é fazer com que eles, cumprindo a lei, estejam abertos a mercados e gere mais renda e rentabilidade para o seu próprio negócio. Então é esse o intuito da gente, junto com essa parceria com o Estado, para valorizar e incentivar cada vez mais outros estabelecimentos que se regularizem”.

A produtora Edjane Barros, da Laticínios Ouro Bom, já vislumbra a venda dos seus produtos em outros estados. Conforme a empresária, a conquista do certificado do Sistema Brasileiro de Inspeção é um marco para a região produtora de leite de Sergipe. “Tivemos muita assistência da Seagri e Emdagro. Já temos o certificado estadual, que foi muito importante, porque já produzimos uma boa quantidade de queijo. Conquistar esse selo foi maravilhoso, muito importante para os nossos empregos e para nossa renda também. E o Sisbi para gente é um marco, para podermos vender nossos produtos não só dentro do estado. Como a gente já tem uma quantidade de queijo boa, vai ser uma benção. O Sisbi já era esperado por nós há muito tempo”.

A fábrica de Edjane produz cinco mil quilos de lácteos por dia e emprega 64 pessoas diretamente, sem contar os empregos gerados indiretamente. “A gente tem mais de 300 produtores dos quais compramos leite, são nossos fornecedores. E quando tivermos o selo do Sisbi queremos crescer ainda mais”, garante a empreendedora.

Governo

Última atualização: 30 de janeiro de 2023 11:38.

Pular para o conteúdo