Publicado: 16 de março de 2018, 14:48

Dom Távora promove curso de desenvolvimento de capacidades em negócios rurais


Esse curso vai dar um salto, fazendo com que os empreendimentos possam associar em rede para ampliar os resultados.

Técnicos da assistência técnica rural que trabalham nos 15 municípios atendidos pelo Projeto Dom Távora, coordenado pela Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), participaram nesta quarta-feira, dia 14, do Programa Desenvolvimento de Capacidades em Negócios Rurais. O momento formativo foi desenvolvido pela coordenação do Dom Távora em parceria com o PNUD e o Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano (IADH). Segundo os organizadores, este é o primeiro módulo presencial do curso para 40 técnicos da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário do Estado de Sergipe (EMDAGRO) e 21 consultores do Projeto que serão multiplicadores junto aos produtores rurais.

O coordenador de Desenvolvimento de Capacidades do Projeto Dom Távora, Manoel Messias, disse que o curso tem um formato de Educação à Distância, com duas Unidades Presenciais de 8 horas cada e uma Unidade Virtual ao longo de cinco semanas com carga horária de 40 horas, totalizando 56 horas.

Ainda segundo o coordenador, o curso tem como propósito qualificar a gestão, facilitar a reflexão e a preparação dos técnicos para assessorar e apoiar os produtores rurais na gestão dos negócios rurais financiados pelo Projeto. “No curso se discute sobre a nova ruralidade, a gestão dos pequenos empreendimentos de forma associativa e participativa, acesso a mercados e às novas tecnologias e ferramentas de gestão, criação de redes de comercialização, verticalização da produção, entre outros aspectos relevantes para garantir o fortalecimento do processo produtivo e sua sustentabilidade”, detalhou.

De acordo com Ricardo de Cerqueira, um dos coordenadores do projeto pelo IADH, a estratégia de realizar módulos virtuais permitiu ampliar a carga horária e o número de participantes. “Na previsão original seria um curso presencial de 40 horas, em Aracaju envolvendo 40 técnicos. Dentro da estratégia do IADH propomos que todos os cursos incorporassem também educação à distância telepresencial. Então, transformamos a proposta original de um curso totalmente presencial de 40 horas para um curso de 56 horas sendo feito com educação à distância e em alguns momentos presenciais. Passando também de 40 para 65 o número de participantes”.

Ricardo disse que são disponibilizados textos, vídeos e trabalhos para os participantes. E, ao final do curso, vão ser gerados oito produtos, que são projetos conceituais de formação de rede nos territórios, visando a verticalização e integração produtiva.

“Avalio como interessante nesse curso, ampliar a visão dos técnicos para ir além da viabilização das unidades associativas, ou seja, o Projeto Dom Távora hoje financia Planos de Negócios focados para os empreendimentos associativos.Esse curso vai dar um salto, fazendo com que os empreendimentos possam associar em rede para ampliar os resultados”. Permite pensar como pode haver uma integração interterritorial? Como pode haver uma assistência técnica integrada como um todo. Busca-se dar um salto na discussão com os técnicos para ampliação da visão junto aos produtores”, acrescenta Ricardo.


Atualizado: 16 de março de 2018, 14:48
Skip to content