Emdagro inicia segundo ciclo de vigilância de doenças em suínos

As ações têm o objetivo de fortalecer a detecção de doenças como a Peste Suína Clássica

Com um plantel cada vez maior de suínos no Estado, o que coloca Sergipe em uma condição satisfatória, na produção de porcos entre os Estados do Nordeste, com seus 500 mil animais, a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro) vem aperfeiçoando a detecção precoce de enfermidades no rebanho. As ações se iniciam com o 2º Ciclo do Plano Integrado de Vigilância de Doenças de Suínos, que acontece neste mês de abril e se estende até o mês de junho deste ano. A iniciativa é uma recomendação do Ministério da Agricultura e da Pesca.

O Plano Integrado, que contempla a coleta de sangue e avaliação clínica de animais de 128 propriedades, em 45 municípios sergipanos, visa fortalecer a capacidade de detecção precoce de casos de Peste Suína Clássica (PSC), Peste Suína Africana (PSA) e a Síndrome Reprodutiva e Respiratória dos Suínos (PRRS), mesmo Sergipe não tendo registros destas doenças e possuir o status sanitário de livre, de todas elas. Das propriedades selecionadas, 86 delas serão submetidas à colheita de amostras para sorologia de Peste Suína Clássica e 42 para inspeção clínica.

As amostras serão enviadas ao Laboratório Federal de Defesa Animal, em Minas Gerais (LFDA/MG) para análise e os próprios médicos veterinários do Serviço de Defesa Animal do órgão serão os profissionais responsáveis pela coleta e análise dos resultados. “Essas ações dão sustentabilidade a suinocultura do estado, que está em crescimento”, disse a diretora de Defesa Animal e Vegetal da Emdagro, Aparecida Andrade, se referindo ao processo sanitário que se encontra em tramitação na Emdagro, do Centro Tecnológico de Produção de Sêmen de Suínos e Matrizes Certificadas, localizado no município de Campo do Brito e de propriedade do senhor Evairton Andrade.

Ainda segundo a diretora, o Centro Tecnológico vai investir em tecnologia de última geração que possibilitará que os produtores tenham acesso a sêmen e matrizes com padrão internacional. “Com isso o Estado terá uma produção de animais com uma boa qualidade genética, o que vai garantir que doenças como a Peste Suína Clássica (PSC) – da qual somos livres e com Certificação de Reconhecimento Internacional – diferentemente do Estado de Alagoas, que possui registro da doença, por exemplo, não adentre em nosso Estado. Isso vai fazer com que a produção de suínos se concentre muito mais aqui em Sergipe, sem a necessidade de virem de fora”, explicou Aparecida.

Primeiro Ciclo

Na realização do primeiro ciclo do Plano Integrado de Vigilância de Doenças de Suínos, ocorrido em 2022, a Emdagro trabalhou com 180 propriedades, de 48 municípios, quando foram coletadas 1.051 amostras.


Governo

Última atualização: 15 de abril de 2023 11:40.

Pular para o conteúdo