Emdagro intensifica fiscalização sobre o trânsito e a comercialização de mudas cítricas

A medida visa coibir o trânsito de mudas clandestinas em Sergipe

As mudas cítricas têm papel de destaque na cadeia produtiva do estado e tem recebido manutenção do status fitossanitário de ‘livre de pragas quarentenárias’ dos citros. Para manter a proteção dos pomares sergipanos, a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura, do Desenvolvimento Agrário e da Pesca, tem intensificado as fiscalizações sobre o transporte e comércio dessas mudas. A medida visa coibir a prática ilegal das já conhecidas mudas clandestinas que não possuem origem definida, uma vez que os materiais usados na produção delas não possuem certificação fitossanitária e apresentam alto o risco de estarem contaminados com pragas e doenças.

Além da realização de “blitz” em rodovias federais e estaduais, principalmente na região centro-sul do Estado, a equipe da fiscalização agropecuária da Emdagro tem intensificado os trabalhos na divisa com o estado da Bahia e feiras livres dos principais municípios sergipanos produtores de citros. “Mudas cítricas clandestinas são produzidas fora de ambiente protegido, utilizando como substrato o próprio solo e sem nenhum tipo de certificação, não garantindo ao produtor a origem genética e, tampouco, a isenção de pragas e doenças”, é o que observa a diretora de Defesa Animal e Vegetal da Emdagro, Aparecida Andrade.

Segundo ela, o HLB Greening é um exemplo de doença extremamente perigosa para a citricultura brasileira e uma ameaça à citricultura mundial. “Essa doença pode atingir todas as variedades e espécies de citros e não há medidas de controle capazes de eliminá-la completamente”, alertou a diretora. Ela reforça que a Emdagro sempre orienta a aquisição de mudas cítricas certificadas, ou seja, que são produzidas em viveiros telados, utilizando substrato livre de patógenos, com identidade genética livre de pragas e doenças, e obedecem a padrões estabelecidos em normatização federal.

Outras doenças

Outras doenças bastante importantes para a cultura são o cancro cítrico e a leprose. A primeira, por exemplo, afeta todas as espécies e variedades de citros de importância comercial. Os impactos desta doença estão relacionados à desfolha de plantas, à depreciação da qualidade da produção, pela presença de lesões em frutos, à redução na produção pela queda prematura de frutos e à restrição da comercialização da produção para áreas livres da doença.

Já a leprose é uma das principais doenças da citricultura e atinge, principalmente, laranjeiras doces. Nos frutos as lesões geralmente são rasas e necróticas, distribuídas por toda a superfície. Nos frutos verdes, observa-se um halo amarelo em torno da lesão e, à medida que ele amadurece, as lesões se tornam escuras e pouco deprimidas.

Governo

Última atualização: 10 de junho de 2023 11:34.

Pular para o conteúdo