Estado leva investimentos em abastecimento de água, irrigação e dessedentação animal ao alto sertão sergipano

Secretaria de Estado da Agricultura, via Coderse, atende demandas dos múltiplos usos da água, impactando cinco municípios e incentivando a economia

Para incentivar a produção agropecuária, a geração de renda e ampliar a qualidade de vida da população do alto sertão sergipano, o Governo do Estado autorizou nesta segunda-feira, 4, o processo licitatório dos estudos para o projeto de construção da Adutora do Leite, entregou tubulações e mangueiras de irrigação para assentados em Canindé de São Francisco e assinou ordem de serviço para implantação de um sistema de abastecimento de água dessalinizada em Porto da folha. 

A agenda do governador Fábio Mitidieri, em um dia, viabilizou a chegada de um volume de recursos públicos superior a R$ 8,6 milhões, somente em investimentos feitos pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) por meio da Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse). As ações incluem recursos voltados à dessedentação para o gado de leite em cinco municípios, criação do terceiro polo agrícola irrigado na região e o acesso à água potável em comunidade rural, com a construção da 30ª unidade do Programa Água Doce em Sergipe (PAD).

No povoado Bela Aurora, em Porto da Folha, serão mais de 40 famílias beneficiadas com o sistema do PAD, licitado em R$ 288.172,63. A benfeitoria vai potabilizar a água salobra e fazer o descarte adequado ao rejeito da dessalinização, em um poço perfurado pela Coderse. O presidente da Associação dos Moradores e de Desenvolvimento do povoado, Esmerindo Rozendo dos Santos, expôs que a vida das pessoas irá melhorar com o novo sistema. “A dificuldade é grande, mas com esse poço, vai ficar bem melhor. Chegando essa água muda muito. Hoje, a água lá chega por carros-pipa”. 

Água Doce

O PAD é um programa do Ministério do Meio do Meio Ambiente e em Sergipe, é coordenado pela Seagri, com as suas vinculadas fazendo a execução, manutenção e a implantação de novas unidades. Atualmente, 29 sistemas estão em operação, produzindo 17.400 litros de água por dia e atendendo mais de mil famílias do campo.

O secretário de Estado da Agricultura, Zeca Ramos da Silva, reforça que o Governo do Estado está investindo para ampliar esses números. “A Coderse está investindo, nesses sistemas de dessalinização, algo em torno de R$ 6 milhões. Dinheiro do Governo Federal, com a parceria do Governo do Estado, sob a competência da Coderse. Um investimento que vai trazer um benefício grande, principalmente para a população do sertão”, destacou o gestor da Seagri.

Adutora do Leite

Partindo da Estação de Bombeamento 100, da Coderse, a Adutora do Leite vai percorrer 48,4 km, abastecendo sistemas de distribuição de água bruta para rebanhos em Canindé; Poço Redondo – passando pelo importante polo pecuário de Santa Rosa do Ermírio; Porto da Folha; Monte Alegre de Sergipe, até chegar à Capital do Leite, Nossa Senhora da Glória. O investimento previsto nas etapas iniciais é de R$ 8 milhões. O projeto visa beneficiar cerca de 145 mil habitantes dos cinco municípios, pois a produção de leite é a principal atividade econômica do alto sertão.

“Com a determinação do secretário Zeca da Silva, de que nós fizéssemos o termo de referência e o edital de licitação do Projeto Básico, para Adutora do Leite, automaticamente, nossa equipe já está em campo, trabalhando. Já fizemos visitas em todos os municípios que vão ser beneficiados. Na perspectiva, na primeira etapa, fazer 48,5 km e, na segunda, mais 45km para atender os produtores de leite da região. Isso vai diminuir distâncias e aquele produtor que ia buscar água a 70km, vai conseguir em 5km”, pontua o presidente da Coderse, Paulo Sobral.

O pecuarista Carlos Silva, do povoado Tanque Novo, em Poço Redondo, afirmou que vai ter uma economia de mais de 50% no custo da produção, com a chegada da Adutora do Leite. “E tem como dobrar a produção de leite, porque não tem como a gente investir hoje, se a condição de água é difícil. E facilitando essa parte, a gente pode investir mais”. Para ele, é possível dobrar a produção de leite ao transformar o custo atual para conseguir água em investimentos para o rebanho.

Assentamento Valmir Mota

Entre os 720 metros de tubos em PVC de 50mm e os 700 mil metros de mangueiras de irrigação por gotejamento, são quase R$ 360 mil em equipamentos entregues aos agricultores familiares do Assentamento Valmir Mota, em Canindé de São Francisco. A Coderse — que está fornecendo o material adquirido, parte com recursos próprios e a outra doada por concessionários do Distrito de Irrigação do Platô de Neópolis, também da Coderse — está elaborando os projetos de irrigação localizada e de consumo econômico, para a instalação dos sistemas nos 33 lotes. 

Assentado do Valmir Mota há 12 anos, Manoel Fernandes Pereira conta que já tem uma pequena área irrigada, produzindo quiabo, acerola e goiaba. Com esse material, a gente vai poder ampliar a irrigação no assentamento. Vai ser uma coisa de grande valia, vai ajudar muito o produtor para ele poder desenvolver a agricultura familiar. Esse material vai servir muito para os produtores do assentamento”.

Governo

Última atualização: 6 de dezembro de 2023 11:51.

Pular para o conteúdo