Publicado: 29 de setembro de 2021, 10:00

Governo de Sergipe investe na recuperação de pomares cítricos


Com capacidade de produzir 500 mil borbulhas por ano, os viveiros instalados pelo governo vão atender os 14 municípios da região citrícola

Visando beneficiar a cadeia produtiva da citricultura, o Governo de Sergipe realizou a recuperação de viveiros para produção da borbulha de citros. A tecnologia aplicada utiliza pequenos brotos retirados de galhos de frutas cítricas isentas de doenças para produzir mudas de alta qualidade com certificação do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. A unidade produtiva fica no Centro de Treinamento da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), localizado no município de Boquim. A produção de mudas e posterior distribuição aos citricultores atenderá os 14 municípios que compõem a região citrícola estadual: Arauá, Boquim, Cristinápolis, Estância, Itaporanga, Indiaroba, Itabaianinha, Lagarto, Pedrinhas, Riachão do Dantas, Salgado, Santa Luzia, Tomar do Geru e Umbaúba.

De acordo com o secretário de Estado da Agricultura, Zeca da Silva, a ação do governo estadual é importante para manter Sergipe entre os cinco maiores produtores nacionais de laranja. “A renovação dos pomares cítricos é um passo fundamental para aumentarmos a produtividade, produzindo frutas de qualidade com viabilidade econômica. Acredito que é uma ação importante para manter Sergipe entre os maiores Estados produtores nacionais. Nossos produtores têm expertise e o governo está ajudando na revitalização dos pomares. Estamos investindo R$ 150 mil agora em 2021 na recuperação de viveiros telados para produção de borbulhas visando atender os produtores dos municípios da região citrícola. Além disso, estes municípios estão incluídos no Programa de Avaliação de Análise de Solo, no qual o Governo do Estado também injetou R$ 126 mil, com o objetivo de identificar a capacidade que o solo tem de prover os nutrientes para plantas, garantindo a melhoria da produtividade das culturas”, destacou o secretário.

Material genético selecionado

Os viveiros telados instalados pelo governo medem 90 metros (m) de comprimento, 12 m de largura e 4 m de altura, com capacidade de fornecer 500 mil borbulhas por ano para viveiristas. Segundo o chefe da Unidade Regional da Emdagro de Boquim, engenheiro agrônomo Luiz Fernandes de Oliveira Silva, o principal benefício desta ação é garantir que os produtores tenham mudas produzidas com material genético de qualidade. Todas as borbulhas produzidas aqui são livres de pragas e fungos, com material genético pesquisado e selecionado pela Embrapa e que terá validação do Ministério da Agricultura”, diz o engenheiro.

O Engenheiro da Emdagro explica ainda que, com maior ciclo de períodos quentes, Sergipe leva vantagem em relação aos estados do sul do Brasil no processo de produção de mudas cítricas. “Enquanto eles passam por um ciclo de um ano e meio para produzir mudas, nós produzimos em 300 dias. Isso porque no período de enxertia da planta precisa de água e calor, então como aqui no Nordeste a incidência de calor é maior, levamos vantagem”. O técnico agrícola e coordenador local da Emdagro, Joetôneo Ferreira Neves, explica o processo de produção das mudas. “Nós fornecemos para o produtor tanto a semente de Limão Cravo Santa Cruz para produção do porta-enxerto como também agora com as borbulhas para produção das mudas, tudo com certificação do Ministério da Agricultura”.

O exemplo do viveirista

O produtor e viveirista, José Oliveira Fontes, conhecido como Zezé de Jairo, do povoado Colônia 13, município de Lagarto, trabalha há mais de 30 anos com a produção de mudas. Ele conta que já recebeu apoio e orientação do governo por meio da Emdagro. “Aqui no meu viveiro eu faço todo o processo, desde a semeadura com a semente do Limão Cravo nos tubetes para fazer o porta-enxerto, seleciono as melhores plantas que brotaram, passo para as bolsas apropriadas com substrato e adubo, até fazer a enxertia com o citro que desejar. Aqui a procura maior é pela muda de Laranja Pera, mas faço também a muda do Limão Taiti, Limão Galego e Tangerina. Agora, com essa ajuda do governo nas borbulhas vai ser melhor porque diminui a despesa de produção e temos uma planta sadia”, diz o produtor.

Sobre a citricultura em Sergipe

Sergipe é o menor Estado da federação em área, mas ainda ocupa uma posição importante como 5º lugar na produção nacional de laranja, atrás apenas dos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Paraná e Bahia. A estimativa de safra da laranja para 2021 é de 371.769 toneladas (3,3% maior que a safra 2020) numa área plantada equivalente a 32.255 hectares e produtividade de 11.939 toneladas por hectares, segundo Levantamento Sistemático da Produção Agrícola publicado pelo IBGE no último dia 9 de setembro.


Atualizado: 29 de setembro de 2021, 10:00
Skip to content