Governo de Sergipe vai distribuir nova variedade de palma forrageira para o homem do campo

“Orelha de elefante” apresenta melhor adaptação a condições adversas, o que facilita sua cultura

O Governo de Sergipe, por meio da Secretaria da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) e sua vinculada, a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), vai distribuir 286 mil raquetes de palma forrageira da variedade Orelha de Elefante Mexicana para agricultores sergipanos. A iniciativa faz parte do programa ‘Mais Palma para Sergipe’ e deve beneficiar, inicialmente, 190 famílias nos municípios de Riachão do Dantas, Lagarto e Tobias Barreto, no centro-sul, Itabaianinha, Tomar do Geru, Boquim e Arauá, no sul do estado.

De acordo com a médica veterinária e coordenadora de Pecuária da (Emdagro), Izildinha Dantas, o diferencial da nova variedade é a melhor adaptação a condições adversas, como a seca, o que facilita a sua cultura. “Os municípios serão contemplados com as sementes de palma forrageira da variedade Orelha de Elefante Mexicana, que tem como uma das características ser mais resistente aos extremos climáticos, déficit hídrico e umidade elevada”, observou.

Com o objetivo de preparar os técnicos responsáveis para prestar o suporte necessário aos beneficiados, a Emdagro realizou nesta semana um encontro com a equipe em Nossa Senhora da Glória, no qual a nova cultura foi debatida. A reunião foi conduzida pelo técnico agrícola Sérgio Walttenberg, que possui experiência com a palma forrageira. Também participaram outros 22 técnicos, sendo 17 da Emdagro vinculados aos municípios de Boquim, Riachão, Lagarto, Itabaianinha, Pinhão, Arauá e Pedrinhas e outros cinco profissionais de prefeituras da região.

A ação ainda contou com visitas técnicas. O primeiro destino foi o Sítio Nossa Senhora das Graças, localizado no Povoado Queimada da Onça, onde o produtor Carlos André Silva já garantiu o plantio da palma orelha de elefante adensada e recém plantada. Já na Fazenda Três Corações, do produtor de leite conhecido como José Banquista, foram observadas outras variedades de palma, o que possibilitou a comparação entre elas.

“A partir de agora, caberá à Coordenação de Pecuária e às Unidades Locais das referidas unidades regionais estreitar os acertos para a distribuição do material propagativo, que deve ser iniciada após a segunda quinzena de julho ou um pouco mais, a depender das condições pluviométricas”, concluiu Izildinha Dantas.

Programa Mais Palma

A iniciativa visa contribuir com a sustentabilidade da pecuária de leite nas pequenas propriedades de Sergipe por meio da introdução de variações da palma mais produtivas e resistentes ao estresse hídrico, a fim de viabilizar a reserva e a multiplicação da alimentação do gado.

Governo

Última atualização: 13 de julho de 2023 08:31.

Pular para o conteúdo