Governo do Estado instala modernas estações meteorológicas em perímetros irrigados

Com dados climáticos agricultor sabe quando plantar, irrigar e tomar contramedidas para evitar perda de lavoura

Quatro estações tele-pluviométricas automatizadas foram instaladas para contribuir com a atividade agropecuária intensiva praticada nos perímetros irrigados do governo do Estado. Os equipamentos informam a quantidade de chuva, umidade, temperatura, vento, pressão, radiação solar e evaporação; essenciais para determinar quando e o quanto de irrigação deve ser usado na plantação. As informações serão divulgadas e compartilhadas, em tempo real, pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente, Sustentabilidade e Ações Climáticas (Semac).

Ao todo, a Semac instalou seis estações, hoje em fase de calibração e interligação com o seu Centro de Meteorologia. Nos municípios de Canindé de São Francisco, Itabaiana, Lagarto e Tobias Barreto, as estações estão nos escritórios da Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse), vinculada à Secretaria de Agricultura, do Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri). Outros dois grupos de equipamentos foram instalados pela Semac nos municípios de Estância e Gararu.

“São estações tele-pluviométricas de primeira ordem, automáticas. Elas processam, coletam e transmitem os dados via satélite para a nossa plataforma. Daí nós recepcionamos e conduzimos as análises climáticas, com a finalidade também da previsão. As informações oriundas deste monitoramento são voltadas, especialmente, para o setor agrometeorológico, bem como para a gestão dos recursos hídricos, visto que elas contribuem para a estimativa de quanto que as bacias daquela região receberam de chuva”, destacou o gerente de Meteorologia e Mudanças Climáticas da Semac, Overland Amaral, que coordena a implantação das estações automáticas.

Medidas fitossanitárias

O produtor agrícola Ozeias Bezerra cultiva frutas e hortaliças, como pera, uva e brócolis, no perímetro irrigado Califórnia, administrado pela Coderse, em Canindé. Para ele, as informações meteorológicas são importantes quando a cultura agrícola pode ser prejudicada por excesso de chuvas, na fase de maturação, colheita e favorece a ocorrência de doenças fúngicas. O que força o agricultor a tomar medidas fitossanitárias. “A meteorologia ajuda muito, principalmente na cultura do melão, que estou plantando. Precisa sempre ver o clima”, argumentou o irrigante.

Estações analógicas

O diretor-presidente da Coderse, Paulo Sobral avalia positivamente a parceria com a Semac, que segundo ele, vem quando se faz necessária a modernização da estrutura agrometeorológica dos perímetros. “Temos estações meteorológicas analógicas na maioria dos nossos escritórios, onde é necessário um funcionário fazer a leitura diária dos instrumentos, fazer relatórios e enviar para a nossa sede e para Semac. Esse procedimento dificulta o envio das informações em tempo hábil para o agricultor e outros setores da sociedade que precisam. Ficamos gratos, pela maioria das novas estações estarem nos nossos escritórios e pela confiança depositada na nossa empresa”, ressaltou.

Contudo, Overland Amaral não diminui a importância das antigas estações meteorológicas dos perímetros da Coderse, após a instalação das tele-pluviométricas. “Elas têm utilidade no sentido de aferir as automáticas. Sendo que as analógicas precisam de observador, para registrar, fazer planilha. Já as automáticas registram a variável (chuva, insolação, vento, pressão, radiação, umidade) e passam diretamente para o nosso sistema”, explicou o meteorologista.

Compartilhamento de dados

A forma como as novas estações foram geograficamente posicionadas beneficiou todos os seis perímetros irrigados do Governo do Estado, especialmente a instalada no Jacarecica I, em Itabaiana, que colhe os dados climáticos que influenciam os perímetros vizinhos Poção da Ribeira e Jacarecica II. Segundo o diretor de Recursos Hídricos da Semac, Ailton Rocha, o sistema deverá ser espelhado, para que a Coderse também receba os dados. “Isso sendo automático, não fica dependendo da nossa interlocução. Hoje nós precisamos de informações imediatas, porque as mudanças e a dinâmica climática são muito intensas. Você precisa ter aquilo a tempo e na hora, de forma online e rápida”, finalizou Ailton.

Governo

Última atualização: 11 de maio de 2023 08:44.

Pular para o conteúdo