Investimento de mais de R$ 2 milhões na bacia leiteira leva nutrição e melhoramento genético a rebanhos sergipanos

Governo do Estado continua distribuindo raquetes de palma forrageira e realizando a inseminação artificial de animais de pequenos criadores

Agricultores familiares e pequenos criadores de 12 municípios do semiárido sergipano seguem recebendo sementes de palma forrageira entregues pelo Governo Estadual. Segundo a Secretaria de Estado da Agricultura, do Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), o objetivo é agregar valor às unidades produtivas familiares, reforçar o suporte forrageiro dos pequenos produtores para os seus rebanhos, principalmente para o período de estiagem; além de recuperar a área plantada de palma, esgotada durante a seca que se prolongou até 2018. Outros investimentos estão sendo feitos pelo governo para incrementar a produtividade da bacia leiteira sergipana.

Só na distribuição de sementes de palma forrageira, o Governo Estadual investiu R$ 1 milhão, com recursos do Fundo de Combate à Pobreza (Funcep), através de cooperação firmada entre Secretaria de Estado da Inclusão, da Assistência Social e do Trabalho (Seit) e Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), com execução da Emdagro. Contudo, o programa de distribuição de sementes começou antes, com a entrega de 180 toneladas de sementes de milho, sendo 150 toneladas de sementes certificadas e 30 toneladas de sementes crioulas (além de mais 250 toneladas de sementes de arroz no Baixo São Francisco). Somados, os investimentos em sementes de milho, arroz e palma ultrapassam os R$ 2,5 milhões.

Esta semana, o secretário de Estado da Agricultura, André Bomfim, esteve em Poço Redondo para acompanhar a entrega das sementes e afirmou que o governo deu prioridade ao projeto da palma forrageira para aproveitar o período chuvoso para o plantio. “O governador Belivaldo Chagas assinou, durante a festa Amigos do Leite, em Santa Rosa do Ermírio (Poço Redondo), o Termo de Cooperação do Programa de Incentivo ao Cultivo de Palma Forrageira para alimentação animal, o programa ‘Mais Palmas para o Sertão’. E agora em agosto, em menos de um mês, já estávamos distribuindo as sementes para que os agricultores aproveitem o período propício da terra molhada e realizem o plantio. Quero parabenizar toda a equipe técnica da Emdagro pela celeridade e dedicação na distribuição das sementes”, destacou André.

Ainda segundo o secretário, estão sendo beneficiados 872 pequenos produtores de 12 municípios da bacia leiteira com a entrega de cerca de 3 milhões de raquetes de palma forrageira, resistentes à cochonilha do carmim, e cerca de 3.500 sacos de fertilizante (3.400 raquetes e três sacos de adubo por produtor). Os municípios contemplados são: Porto da Folha, Monte Alegre, Poço Redondo, Canindé de São Francisco, Gararu, N. Sra. Da Glória, N. Sra. De Lourdes, Itabi, Aquidabã, Poço Verde, Simão Dias e Tobias Barreto.

Entre os beneficiários, está o produtor de Poço Redondo, José Gomes dos Santos, que tem em seu rebanho 12 vacas de leite. “Eu já tinha recebido as sementes de milho em maio e estou com 20 tarefas plantadas para colher no final do mês e transformar em silo. Agora vou levar as mudas de palma e me preparar para o verão. A palma e o milho não podem faltar pra nós, que lidamos com o gado de leite. Só temos a agradecer ao governo por essa ajuda”, disse o criador.

O agrônomo da Emdagro, unidade de Poço Redondo, Luciano Firmino, destacou a qualidade produtiva da semente de palma entregue pelo governo. “Essa palma que estamos distribuindo, além de ser uma planta sadia, tem uma produtividade excelente, produz 10 toneladas por hectare, ou seja, os 100 hectares de mudas que estão sendo disponibilizados para o município de Poço Redondo vão resultar em 1.000 toneladas para os próximos dois anos. Isso vai permitir grande incremento na produção de leite e trazer tranquilidade para o produtor no período de seca, com suporte forrageiro no período da entressafra”, explicou o técnico.

Inseminação Artificial

Outra ação que teve recursos ampliados para favorecer a produtividade da bacia leiteira é o programa de Melhoramento Genético por Inseminação Artificial em Tempo Fixo – IATF, através do qual estão sendo investidos mais R$ 175 mil reais, através de parceria entre a Seagri e o Banese, com execução da Emdagro. O programa já está em curso, com a realização de mais de 1.200 inseminações, com sêmen de animais de alta linhagem das raças Holandesas, Girolando e Gir Leiteiro, favorecendo pequenos criadores de 11 municípios: Canindé, Poço Redondo, Monte Alegre, Porto da Folha, Gararu, Frei Paulo, Tobias Barreto, Simão Dias, Carira, Poço Redondo e Aquidabã.

A ideia é aumentar os índices de natalidade, melhorar a qualidade genética dos rebanhos e, consequentemente sua produtividade, e possibilitar o controle do ciclo reprodutivo, para que os nascimentos aconteçam em períodos de maior disponibilidade de alimento para os animais. “Tanto o programa de distribuição de sementes quanto o de IATF fazem parte de um projeto do governo do Estado que visa o fortalecimento da cadeia produtiva do leite, a exemplo das ações já em execução pela Emdagro nas áreas de defesa animal, manejo alimentar e outros, que dão instrumentos para a expansão da produção”, explica Jefferson Feitoza, diretor-presidente da Emdagro.

O sucesso da edição 2018 foi que trouxe a decisão de aumentar os investimentos para ampliar o alcance do programa. No ano passado, foram inseminadas 475 vacas, das quais nasceram 162 bezerros, atendendo 50 pequenos criadores de quatro municípios. “Foi um programa em que a gente teve acesso a inseminação através da Emdagro. Os bezerros que nasceram ainda estão pequenos, mas a gente já vê que é um bezerro bem melhor que os que a gente tinha”, observou o criador de Poço Redondo, Jadson Vanderlei.

Governo

Última atualização: 27 de agosto de 2019 13:33.

Pular para o conteúdo