Publicado: 6 de fevereiro de 2019, 15:18

Missão do FIDA se reúne com técnicos de campo do Projeto Dom Távora


“Estamos bem servidos com pessoas trabalhando em campo. Hoje temos 54 técnicos contratados por meio do Programa das Nações Unidas Para o Desenvolvimento (PNUD), e mais 26 técnicos da Emdagro”.


O Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola segue em missão de apoio ao Projeto Dom Távora. Nesta terça-feira, 05, a equipe do FIDA esteve reunida com os técnicos que trabalham em campo, com o objetivo de ouvi-los e conhecer detalhes sobre a execução dos projetos. O resultado deste encontro, como também das demais atividades realizadas pela missão, constará num documento final com sugestões, ajustes e encaminhamentos que irão contribuir com avanços do Projeto, a ser divulgado próxima quinta-feira, dia 07.

Participaram do encontro o Oficial do FIDA e coordenador da Missão,  Leonardo Bichara Rocha; o coordenador técnico da missão, Emmanuel Bayle; o coordenador do Projeto Dom Távora, Gismário Ferreira Nobre; e o diretor técnico da Empresa de Desenvolvimento Agropecuário (Emdagro), Esmeraldo Leal dos Santos.

O coordenador do Projeto, Gismário Nobre, destaca que o governo tem uma boa equipe técnica atuando diretamente com os beneficiários do Dom Távora. “Estamos bem servidos com pessoas trabalhando em campo. Hoje temos 54 técnicos contratados por meio do Programa das Nações Unidas Para o Desenvolvimento (PNUD), e mais 26 técnicos da Emdagro. São especialistas em caprinocultura, piscicultura, avicultura, contabilidade, e especialistas em comunidades tradicionais, mulheres e jovens, que somados aos demais técnicos dão assessoria aos projetos comunitários”.

Leonardo Bichara falou da expectativa desse momento de ouvir a equipe técnica de campo. “É o momento de saber de vocês sobre os avanços do Projeto Dom Távora, os resultados obtidos no campo. Nós temos um projeto em execução há seis anos, temos todo um arcabouço logístico com escritórios locais, técnicos contratados, as parcerias formalizadas. Então é o momento de fazer com que os agricultores possam colher os frutos deste Projeto nas 133 comunidades atendidas. Queremos que os resultados sirvam não apenas para as gerações atuais, mas que tenham efeito multiplicador para as futuras gerações”, pontuou.

O Projeto Dom Távora tem quatro escritórios distribuídos nos territórios sergipanos: Carira, Nossa Senhora Aparecida e Pinhão (Agreste Central, com escritório em Carira);  Aquidabã e  Gracho Cardoso (Médio Sertão, escritório em Aquidabã); Simão Dias, Poço Verde, Tobias Barreto (Centro Sul, escritório em Poço Verde); Brejo Grande, Canhoba, Ilha das Flores, Japoatã, Neópolis, Pacatuba e Santana do São Francisco (Baixo São Francisco, com escritório em Neópolis).


Atualizado: 6 de fevereiro de 2019, 15:18
Skip to content