Publicado: 16 de junho de 2021, 12:51

Seagri discute agenda de compromisso com movimentos sociais do campo


“A secretária Rose é uma companheira de luta, por este motivo os movimentos sociais se sentem à vontade para trazer e discutir as políticas públicas de desenvolvimento territorial, de fortalecimento da agricultura familiar e da agroecologia”.

A secretária de Estado da Agricultura, Rose Rodrigues, recebeu na manhã desta segunda-feira, 9, a Rede Estadual de Colegiados Territoriais de Sergipe que trouxe representação de diversas organizações como MST, FETASE, Cooperativas, CMDRS, Associações dentre outras. Na pauta: foi discutida a situação do Projeto Dom Helder e o seu novo formato que passa a ser de responsabilidade da Superintendência Federal da Agricultura em Sergipe; debateu-se sobre o ENA (Encontro Nacional de Agroecologia) que será realizado no período entre final de maio e inicio de junho, em Belo Horizonte; foi apresentada a situação conjuntural dos territórios e discutidas formas de fortalecimento, reorganização dos mesmos e participação das entidades governamentais nesse processo; a Rede de Colegiados apresentou também a necessidade de, enquanto instituição representativa dos movimentos sociais, ter assento ao Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural e Sustentável.

“Considero muito natural receber os movimentos sociais, com eles teremos um diálogo constante e trataremos de fazer tudo o que for possível para fortalecer as políticas territoriais, inclusive ajudando na mobilização daquelas regiões que se sentem desmotivadas”, assegurou a secretária.

O coordenador do núcleo diretivo do Território Sul Sergipano e representante dos Conselhos Municipais de Desenvolvimento na Rede Colegiados Territoriais, Eraldo Ribeiro, falou da tranquilidade de dialogar com a Secretaria da Agricultura. “A secretária Rose é uma companheira de luta, por este motivo os movimentos sociais se sentem à vontade para trazer e discutir as políticas públicas de desenvolvimento territorial, de fortalecimento da agricultura familiar e da agroecologia”.

Ele avaliou: “Considero que nosso encontro foi muito proveitoso, pois estamos voltando para nossos territórios com uma agenda de compromisso com a secretaria, onde constam as principais demandas territoriais para este ano”.

José Alberto, conhecido como Careca do MST, espera que a articulação com a Secretaria da Agricultura ajude na mediação com prefeitos e com o Governo Federal. “Está sendo um encontro muito produtivo, até porque a gente sabe do engajamento da secretária com o campo. Esperamos avançar ainda mais. Estamos, por exemplo, com problemas com o governo federal que não quer reconhecer os territórios, precisamos de apoio neste sentido, além da parceria para, inclusive, intermediar contatos com algumas prefeituras nos colegiados que estão desmobilizados, então, o estado pode nos ajudar nestes objetivos”.

O representante do Território Sertão Ocidental, Adérico do Nasciemento, destacou o papel da Rede de Colegiados. “A rede tem a função de fazer esse processo de articulação, promover o debate a nível estadual e nacional dos territórios para que a abordagem permaneça viva e permaneça forte em relação ao trabalho com a mulher e o homem do campo”.

A Rede de Colegiados

A Rede é uma articulação dos cinco Colegiados Territoriais de Sergipe (Sertão Ocidental, Alto Sertão, Baixo São Francisco, Sul Sergipano e, Vale do Cotinguiba – este último território de identidade não reconhecido pelo Governo Federal). Tem representação da sociedade civil, a exemplo do MST, FETASE, Conselhos Municipais e Associações de Trabalhadores Rurais, e vive direto com a mulher e o homem do campo. A política de territorialização foi implementada em 2008 pelo extinto Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), utilizando como ferramenta de planejamento, como instrumento de integração de políticas públicas e como elemento indispensável à viabilização da participação popular e do controle social nos investimentos do Governo.

Participaram do encontro com a secretária Rose Rodrigues, José Adérico Nascimento – do Território Sertão Ocidental, João Batista Santos, José Santos Sá e José dos Santos – do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra do Território Sul, Roberto dos Santos – representação das associações, Eraldo Ribeiro – representante dos Conselhos de Desenvolvimento Rural, João Francisco – do MST Sertão Ocidental; Além de Dalva Angélica e Jorielton Oliveira – assessores da Seagri.


Atualizado: 16 de junho de 2021, 12:51
Skip to content