Secretaria de Agricultura leva serviços a Poço Verde na 16ª edição do ‘Sergipe é aqui’

No movimentado estande da Agricultura, a população municipal teve acesso a distribuição de mudas de árvores, cadastros da Agricultura Familiar (CAFs) e atestados de vacinação contra Brucelose, além de encaminhamento das coletas de solo para análise

O município de Poço Verde, na região centro-sul de Sergipe, foi de forma simbólica a capital do estado por um dia nesta quinta-feira, 23, durante a realização da 16ª edição do ‘Sergipe é aqui’. A ação itinerante do Governo do Estado reuniu a população da cidade e regiões circunvizinhas, que foi até a praça central do município em busca de ações e serviços oferecidos pela administração pública estadual.

Mais uma vez, a Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) esteve presente, acolhendo os agricultores sergipanos e fazendo a entrega de documentos importantes, distribuição de mudas frutíferas e prestando assistência a quem visitou o estande em busca de alguma orientação.

Segundo o secretário de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca, Zeca da Silva, o dia foi bastante produtivo. “Hoje, aqui em Poço Verde, distribuímos 45 mudas de árvores, como pés de acerola, cajá, abacate, jambo, entre outras frutas. Também entregamos 25 Cadastros da Agricultura Familiar (CAFs), emitimos 28 atestados de vacinação contra Brucelose para 300 animais e coletamos 40 amostras de solo para análise no ITPS [Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe], tudo isso graças ao trabalho realizado pela equipe de técnicos da Emdagro [Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe]”, comemorou o secretário.

O estudante José Welison visitou o local e saiu satisfeito por conseguir uma muda de jaqueira. Ele disse que ficou atento para se cadastrar no recebimento das mudas frutíferas, com o propósito de contribuir com o reflorestamento da região. “Minha intenção é contribuir com o meio ambiente. Como estudante, me conscientizei da necessidade de plantar árvores para reduzir a quantidade de dióxido de carbono na atmosfera. Nosso município é muito quente, e precisamos contribuir para o bem-estar da população”, pontuou.

Edvaldo Santos Ribeiro, do povoado Barragem, também voltou para casa com uma muda de cajá, fruta que, segundo ele, ainda faltava em seu pomar. “No meu sítio tenho muitas fruteiras, de toda espécie, pois gosto muito de cuidar e preservar a natureza, mas ainda não tinha um pé de cajá. Agora não vai faltar mais”, comemorou o agricultor. 

Aproveitando o dia de ações em seu município, a agricultora Ana Maria de Oliveira, do povoado Cacimba Nova, foi até o estande da Agricultura receber seu Cadastro da Agricultura Familiar (CAF), um documento que, segundo ela, confirma sua identidade como agricultora e abre portas na busca por benefícios que são seus direitos. “Esse documento é o nosso registro, a prova de que a gente trabalha na agricultura e vive disso. Com ele, posso resolver muitas coisas: chegar ao banco e conseguir um empréstimo, provar que trabalhei no campo, na hora que eu for me aposentar. Ele é  muito importante, e eu precisava renovar. Receber aqui mesmo em minha cidade, sem precisar sair daqui, foi melhor ainda, pois facilitou a minha vida”, agradeceu.

Exposição artesanal

Quem também esteve presente no local foi a artesã Renilda Maria dos Santos, moradora da comunidade Amargosa e membro da Associação de Cultura Artesanal de Poço Verde. Ela expôs algumas redes no estande para divulgar o trabalho, que vem sendo realizado na comunidade desde 1990. “Lá, nós temos o Centro de Produção de Tecelagem, onde fabricamos redes rústicas e tear de pedal. Fomos descobertos pela Emdagro na década de 90, e desde então a empresa nos dá assistência em tudo que a gente precisa, seja em capacitação, em orientação técnica para participação em feiras. Tudo que a gente precisa, a gente conta com a Emdagro”, destacou.

Segundo ela, atualmente são 20 artesãos cadastrados, além de outros que trabalham para a associação indiretamente, produzindo em suas casas e fazendo peças que complementam o trabalho. “Tivemos um período muito difícil com essa pandemia que deixou sequelas em muitos de nós, mas agora estamos retomando nosso trabalho e voltamos a produzir com uma maior diversidade de peças. Além das redes, fabricamos colchas, tapetes, mantas, almofadas, tudo com muita qualidade, e que já está ficando conhecido através de nossas redes sociais. É só falar que são produtos feitos em Amargosa que todo mundo quer comprar”, confirmou a artesã.

Governo

Última atualização: 24 de novembro de 2023 09:00.

Pular para o conteúdo