Publicado: 14 de janeiro de 2016, 13:52

Jackson autoriza primeira ação do Projeto Dom Távora no Baixo São Francisco


O governador Jackson Barreto iniciou 2016 com uma ação focada em um dos principais objetivos do seu governo: contribuir para diminuir as desigualdades e melhorar a vida da população do Baixo São Francisco, região que apresenta o menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em Sergipe. A partir de assinatura de convênio com a Associação de Pescadores Evangélicos do Povoado Betume, na manhã desta quinta-feira, 07, a comunidade, em Neópolis, poderá iniciar a implementação do Plano de Negócios de Piscicultura Intensiva em Tanques Rede.

O convênio é a primeira ação do Projeto Dom Távora, cofinanciado pelo Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), no Baixo São Francisco. O FIDA é um organismo das Nações Unidas que tem por objetivo promover o desenvolvimento de negócios agropecuários e não agropecuários, por meio de financiamento de planos de negócios para associações e cooperativas de agricultores familiares.

“Iniciamos o Projeto Dom Távora no Baixo São Francisco como parte do compromisso social do nosso governo com nossa gente. Sempre defendi que era preciso colocar esse projeto aqui para cuidarmos da região mais pobre do nosso estado. Pela primeira vez, o projeto, que inicialmente só iria atender as regiões Agreste e Sertão, vem para o Baixo São Francisco, por uma orientação e pedido nosso ao FIDA”, explicou Jackson Barreto.

No Betume, o projeto, orçado em R$ 300.617,00, beneficiará 20 famílias por meio do fortalecimento do cultivo de tilápias no sistema intensivo de tanques redes em regime coletivo de trabalho, através de um Plano de Negócios, proporcionando uma melhoria na qualidade de vida dos beneficiários que vivem em situação de risco e vulnerabilidade social.

“A gente recebe esse projeto com gratidão. Este já é o terceiro projeto do governo, desde a gestão de Marcelo Déda, aqui no Betume. Já adquirimos barcos, redes e o Dom Távora. Estamos muito felizes e esperamos que essa parceria se prolongue, porque o nosso povo só quer ter trabalho e a oportunidade de progredir”, contou o presidente da Associação de Pescadores Evangélicos do Povoado Betume, Márcio José Feitosa.

Serão atendidos pelo Dom Távora ainda produtores familiares de mais seis municípios do Baixo São Francisco (Santana do São Francisco, Brejo Grande, Canhoba, Ilha das Flores, Japoatã e Pacatuba) com Planos de Negócios nos segmentos de artesanato, turismo rural, cocoicultura, mandiocultura, ostreicultura, rizicultura, fruticultura e outros.

Plano de Piscicultura

O Plano de Piscicultura no povoado de Neópolis contempla a aquisição de 40 tanques Rede, 40 toneladas de ração, 80 mil alevinos, barco e equipamentos, assim como, capacitações nas áreas de Produção e Gestão.

“Esse sonho está sendo concretizado aqui em Neópolis. O governador está trabalhando para tirar essa região da pobreza”, afirmou o prefeito do município, Amintas Diniz.

A assistência técnica será ofertada por técnicos da Emdagro e consultores especialistas. Já a gestão do projeto terá um diferencial no acompanhamento e capacitação dos associados para a gestão do seu negócio.

“Não valeria a pena ser governador se não conseguisse trazer esse investimento do Dom Távora para a região mais pobre do nosso estado, o Baixo São Francisco”, afirmou o governador.

Projeto Dom Távora

O Projeto Dom Távora foi contratado em 2013, com investimento previsto de US$ 28 milhões – financiamento de US$ 15,7 milhões do FIDA e contrapartida estadual de US$ 12,3 milhões. Tem por meta atender a 10.000 famílias de pequenos produtores rurais, beneficiando 40.000 pessoas, através da implementação de 300 planos de negócios. O Projeto atua em 15 municípios dos territórios Agreste Central, Centro Sul, Baixo São Francisco e Médio Sertão Sergipano.

“Dos 300 planos de negócios do Projeto Dom Távora, 140 serão no Baixo São Francisco”, afirma o coordenador do projeto Dom Távora, Eduardo Barreto.

Entre os municípios beneficiados estão Nossa Senhora Aparecida, Carira e Pinhão (Agreste Central); Tobias Barreto, Poço Verde e Simão Dias (Centro Sul); Graccho Cardoso e Aquidabã (Médio Sertão); e Pacatuba, Brejo Grande, Ilha das Flores, Neópolis, Santana do São Francisco, Japoatã e Canhoba (Baixo São Francisco).

O próprio FIDA enfatiza a importância do Projeto Dom Távora, pois esse é um projeto que trabalha para incrementar negócios na área rural, com foco nas cadeias produtivas e na sustentabilidade. Seu objetivo principal é atuar com ‘Grupos de Negócios’ identificados nas comunidades e assentamentos através das suas organizações.

Inicialmente, nove cadeias prioritárias serão apoiadas: Caprinocultura e ovinocultura, aquicultura, apicultura, avicultura caipira, artesanato, fruticultura especial, turismo rural, mandiocultura e cocoicultura, sendo possível a identificação e apoio a novas cadeias com demandas de mercado comprovadas e com capacidade de agregação de produtores. O programa irá potencializar iniciativas de negócios já existentes e implementar novos, melhorando a vida das pessoas que vivem nas comunidades beneficiadas.

A escolha do nome do projeto cofinanciado pelo Fida é uma homenagem a Dom José Vicente Távora (1910/70), 1º arcebispo metropolitano de Aracaju.

Rizicultura

A visita do governador a Neópolis marcou também as comemorações pela expectativa da nova safra recorde de arroz na região. Segundo dados da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf), a produtividade média por hectare, neste ano no Betume, principal produtor do cereal, mais uma vez bateu o recorde nacional e atingiu 10,5 toneladas, com valor bruto de R$ 20 milhões. Após a colheita nas demais comunidades produtoras do Baixo São Francisco, até o final da safra, em janeiro, a expectativa é que a produtividade recorde seja confirmada e Sergipe supere a média até mesmo de grandes estados produtores como Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A estimativa é que a safra atinja 44.780 toneladas.

Os números favoráveis são fruto do apoio do Governo do Estado e de parceiros como a Codevasf aos rizicultores do Baixo São Francisco, que estão investindo na qualidade do arroz produzido no estado. Em setembro de 2015, o Governo do Estado promoveu a distribuição simbólica de 400 toneladas de arroz a rizicultores da agricultura familiar do território de desenvolvimento do Baixo São Francisco. Dessas, 240 toneladas foram destinadas a rizicultores do Perímetro Irrigado do Betume; 90 toneladas a rizicultores do Perímetro Irrigado Cotinguiba-Pindoba; 50 t a rizicultores do Perímetro Irrigado Propriá e 20 t destinaram-se ao agricultores da Comunidade Quilombola de Brejo Grande. Foram beneficiados rizicultores dos municípios de Neópolis, Pacatuba, Japoatã, Propriá, Ilha das Flores, Brejo Grande, Telha, Canhoba e Cedro.

As sementes foram distribuídas a cerca de 1.000 famílias, em área de 4.000 hectares. O investimento na aquisição foi de R$ 658.000,00, recursos oriundos do Fundo Estadual Combate e Erradicação à Pobreza.

Para o produtor Carlos Alberto de Freitas, conhecido como Gararu, o apoio do governo foi fundamental para mudar a realidade dos produtores da agricultura familiar na região. “Hoje é um momento de muita felicidade para nós, produtores de arroz do Betume. Há sete anos estamos produzindo um arroz de qualidade, que melhorou a vida do nosso povo. Com o apoio dos governos de Déda, Jackson e da Codevasf, hoje 660 lotes produzem o arroz, antes eram apenas 300 e o arroz produzido não era de qualidade”.

Solicitação de sementes para a próxima safra

Na ocasião, o governador também assinou ofício solicitando a compra das sementes que serão distribuídas ainda este ano para o plantio da próxima safra. “A gente se sente feliz, pois nem terminamos a colheita e o governo já está solicitando as novas sementes”, disse o produtor Carlos Alberto.

De acordo com o secretário de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca, Esmeraldo Leal, a comunidade encerra o ano 2015 com vitórias e já inicia 2016 trabalhando para continuar festejando novas conquistas. “Hoje é um dia de colheitas e toda comunidade faz festa, porque além do arroz, estamos colhendo os frutos do Projeto Dom Távora. A política de distribuição de sementes e o inicio do Projeto Dom Távora na região estão mudando a realidade dessas comunidades. Estamos colhendo frutos do trabalho de Dom Távora, Dom José Brandão de Castro, do bispo Dom Mário e do governador Jackson Barreto, que sempre esteve aqui, mesmo antes de ser governador, compartilhando do sofrimento e ajudando esse povo. Este projeto tem a cara do nosso povo, porque vai ouvir as colônias de pescadores e a comunidade local”.

Segundo o diretor da Área de Gestão de Empreendimentos de Irrigação da Codevasf, Napoleão Casado, as reivindicações de Jackson Barreto quando esteve em Brasília já começarão a serem atendidas pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba.  

A Codevasf vem realizando obras visando a reabilitação de todos sistemas de canais dos perímetros irrigados de Propriá, Cotinguiba/Pindoba e Betume, perfazendo um investimento de R$ 27.255.576,70. Com a diminuição da vazão do Rio São Francisco, a Codevasf/SE adquiriu 10 conjuntos de eletro/motobombas para incrementar a irrigação dos lotes dos rizicultores, o que viabilizou a implantação da safra da rizicultura 2015/2016. A iniciativa correspondeu a um investimento de R$ 464.534,00. Serão adquiridos ainda nos próximos 30 dias sete sistemas de captação tipo flutuantes para amenizar problemas causados pela baixa vazão do rio. Serão investidos R$ 2.106.375,28.

A Codevasf está promovendo ainda a recuperação de 51 antigas bombas fixas instaladas nos anos 1970, em um investimento de R$ 2.165.968,13. Conjuntamente com a Seinfra estão sendo pavimentados os principais corredores de escoamento da produção dos perímetros. Nesta intervenção já estão garantidos recursos da ordem de R$ 8.000.626,00.

Presenças

Acompanharam as solenidades os secretários de Estado de Comunicação, Sales Neto, de Agricultura, Esmeraldo Leal e da Infraestrutura, Valmor Barbosa; os deputados federais Valadares Filho, Jony Marcos e João Daniel; os deputados estaduais Jairo de Glória, Luciano Pimentel e o presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo; os prefeitos de Neópolis, Amintas Diniz, e de Cedro de São João, Neudo Alves; o ex-prefeito de Propriá, Renato Brandão; vereadores da região e lideranças locais.


Atualizado: 14 de janeiro de 2016, 13:52
Skip to content